sexta-feira, 25 de novembro de 2011

A árvore


Na manhã em que acordei e me dei conta de que não era apenas um pesadelo e que de fato eu não tinha mais o seu abraço, senti o chão se abrindo e em um instante o mundo estava outra vez me engolindo. No momento em que o mundo me engoliu me perguntei quem me tiraria dali de dentro, porque sempre foi a senhora que me salvou de mim, e eu estava me engolindo pra dentro da minha dor. Fiz uma prece por tua alma, mesmo tendo a certeza de que melhor lugar não há do que aquele que estás ocupando agora, e chorei. Chorei feito criança pequena com fome, com frio, com medo. Chorei a dor de uma saudade que nunca vai passar. Chorei por perceber que tudo que eu sempre evitara pensar se concretizou. Chorei porque não pude fazer nada pra evitar.
A minha joia rara, a minha Rosa sem espinhos, o meu anjo da guarda agora estava no colo de Deus, e eu não consigo entender o porquê disso tudo. A senhora que sempre disse pra eu ter fé na vida não está mais aqui comigo e eu não posso acreditar nisso. Quem vai ser meu refúgio agora? Quem vai me dizer por onde andar, por que caminho seguir? Quem vai brigar comigo porque não como direito ou porque estou virando um zumbi por não dormir? Quem vai tentar me convencer que minhas mãos e pés gélidos não são normais e que eu deveria procurar um medico? Quem vai me chamar de boba e dizer que medo de avião é besteira? Quem vai me dar essa coragem toda pra enfrentar a vida de frente? Porque a senhora sabe que eu tenho medo. A senhora sabe que eu me escondo como estou me escondendo agora. Tudo me assusta sem a senhora pra segurar minha mão. E dá uma medo danado, daqueles de não querer sair debaixo da coberta, pensar que não tenho a senhora pra acreditar em mim quando nem mesmo eu acredito.
Hoje comecei a fazer a árvore de natal que a senhora me ensinou à uma semana. Hoje apertei mais o coração pra ele se conter e não desabar na frente dos meus pequenos. Lembrei o seu sorriso ao ver por fotografia os mesmos brincando no chão daquela escola, e então meu coração se acalmou. Te senti perto de mim e minha alma se aqueceu com todo o amor que eu sinto por ti. E verdade seja dita, estou me corroendo de saudades, mas há sempre algo que me conforta, que me dá a certeza que por estares bem eu também devo ficar. Por mim, pela senhora, pelos que ficaram... agora é seguir olhando o mundo com os olhos que a senhora me ensinou a ter.

2 comentários: